Trabalho 20 – Nina Daddario Ortiz – OTIMIZAÇÃO DAS CONDIÇÕES ANALÍTICAS POR NANO LC-MS/MS DA PEÇONHA DE Bothrops insularis (JARARACA-ILHOA)

OTIMIZAÇÃO DAS CONDIÇÕES ANALÍTICAS POR NANO LC-MS/MS DA PEÇONHA DE Bothrops insularis (JARARACA-ILHOA)

N.D. ORTIZ1*, R.D. MELANI1, G.D.T. ARAUJO1, D.B. LIMA2, G.B. DOMONT1

1Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Departamento de Bioquímica, Instituto de Química. 2 Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Programa de Biociências e Biotecnologia, Instituto Carlos Chagas

E-mail: *ndaddarioortiz@yahoo.com.br

Atualmente, muitas drogas utilizadas para tratamento são desenvolvidas a partir de moléculas naturais e algumas delas são derivadas de toxinas animais. Venenos e peçonhas representam uma fonte inestimável de macromoléculas para bioprospecção, sendo a peçonha de serpentes do gênero Bothrops muito interessante, pois contém grandes quantidades de neurotoxinas. Assim, abordagens para estudar perfis protéicos utiliza técnicas proteômicas atuais baseadas em nano-LC acoplado a espectrômetro de massas de alta resolução (LC-MS/MS), que permitem a identificação de compostos protéicos pouco abundantes.Neste estudo,o comprimento da coluna e do gradiente foram otimizados para análises nano LC-MS/MS do proteoma da peçonha de Bothrops insularis.Para isso a peçonha bruta foi digerida em solução com tripsina e analisada em triplicata técnica via shotgun LC-MS/MS usando fragmentação CID em um LTQ Orbitrap XL, com 3 comprimentos de coluna (10,0, 15,0 e 20,0 cm) associados a 7 gradientes (60, 90, 120, 150, 180, 210 e 240 minutos), totalizando 63 análises, das quaiscalculou-se a capacidade de pico, que foi utilizada como uma das métricas para avaliar o desempenho cromatográfico, juntamente com a identificação de peptídeos por Peptide Spectrum Match, de forma a determinar o comprimento de coluna e gradiente ótimos. Através das análises realizadas observou-se aumento na capacidade de pico e na identificação de peptídeos conforme houve aumento no comprimento da coluna e do gradiente, obtendo-se 419 peptídeos identificados e capacidade de pico igual a 1341,4 para a análise mais eficiente, realizada com coluna de 15,0 cm e gradiente de 210 minutos. Os resultados indicam que o aumento do número de peptídeos identificados e da capacidade de pico obtido pelo aumento do tempo de gradiente é dependente do comprimento da coluna, sendo: 15,0 cm e 210 minutos os valores ótimos, respectivamente.

Suporte Financeiro: CAPES, CNPq e UFRJ; Área: Bioquímica

 Download: Resumo Nina Ortiz (formato pdf)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s